Você conhece o Índice Tornozelo Braquial ? Para que serve?

abril 19 17:07 2016

O Índice Tornozelo-Braquial (ITB) é a razão entre a pressão sanguínea na parte inferior da perna ou tornozelo e a pressão sanguínea do braço. Conhecer o ITB é importante, pois pode ser usado com um indicador de Doença Arterial Periférica (DAP). Artérias periféricas no corpo podem ser afetadas da mesma maneira que as artérias coronárias (artérias do coração), podendo entupir com o colesterol ou se tornar endurecidas devido à calcificação. Uma diferença significativa entre a pressão sanguínea nas pernas e nos braços pode indicar uma artéria periférica doente. Esta doença pode ocasionar problemas médicos mais sérios, tais como derrame e insuficiência cardíaca.

Peça ao aluno para deitar em decúbito dorsal, posição conhecida como posição supina, ou de barriga para cima. Tenha certeza de que o paciente está deitado em uma superfície plana, a fim de que suas pernas e braços estejam no nível do coração. Dê ao paciente pelo menos 10 minutos de descanso antes de verificar sua pressão. O descanso ajudará a pressão se normalizar, principalmente se o paciente estiver ansioso, enquanto que também vai permitir que as pulsações cardíacas e braquiais nivelem-se.

Ambos os braços do seu paciente devem estar expostos. As mangas devem ser enroladas de maneira folgada e ficar afastadas.

Localize a artéria braquial. Use os dedos indicador e médio para localizar o local da pulsação. Não use o polegar, pois ele possui pulsação própria e isso pode dificultar que você encontre a pulsação do seu paciente. A pulsação braquial é habitualmente sentida logo acima da fossa antecubital – a parte mediana da curvatura do cotovelo.

Envolva o braço esquerdo do aluno com o manguito de pressão. Tenha certeza de que o manguito está posicionado por volta de 5 centímetros acima do local do pulso braquial. Para evitar leituras erradas, tenha certeza de que o manguito está solto o suficiente para que possa ser girado levemente ao redor do braço do paciente, mas não tão folgado a ponto de escorregar.

Caso seja possível, use um manguito de pressão arterial que tenha a largura que seja aproximadamente dois terços do comprimento do braço do paciente.

Infle o manguito para verificar a pressão arterial sistólica do braço. Use o estetoscópio para escutar a pulsação braquial. Feche a válvula da bomba e use-a para inflar o manguito até cerca de 20mmHg acima da pressão arterial normal ou até que a pulsação não seja mais ouvida.

A pressão sistólica representa a pressão arterial máxima criada pela contração do ventrículo cardíaco esquerdo.

A pressão diastólica representa a quantia mínima de pressão criada quando os ventrículos se enchem de sangue durante o início do ciclo cardíaco.

Esvazie o manguito. Libere a pressão vagarosamente a uma taxa de 2 a 3 mmHg, abrindo a válvula enquanto monitora de perto o manômetro. Observe quando o som da pulsação retorna e novamente quando desaparece – a pressão sanguínea sistólica é o ponto onde o som da pulsação retorna e a pressão sanguínea diastólica é quando o som da pulsação desaparece. A pressão sanguínea sistólica é o valor que você usará mais tarde para calcular o ITB.

Peça a seu aluno que permaneça em decúbito dorsal. O objetivo é manter os braços dele ao nível do coração para se conseguir uma leitura exata da pressão sanguínea. Retire o manguito de pressão do braço de seu paciente.

Envolva o tornozelo esquerdo do aluno com o manguito de pressão. Posicione o manguito 5 cm acima do maléolo (eminência óssea) do tornozelo. Tenha certeza de que o manguito não está apertado demais. Cheque o quanto está apertado inserindo nele dois dedos. Caso você não consiga inserir dois dedos, está apertado demais.

Tenha certeza de que você possui o manguito do tamanho certo do seu paciente. A largura do manguito deve estar ligeiramente maior do que o diâmetro da parte inferior da perna.

Localize a artéria dorsal do pé. A artéria Dorsalis Pedis (DP) está localizada na superfície superior do pé, logo onde ele se encontra com o tornozelo. Espalhe gel para ultrassom nesta área superior. Use uma sonda Doppler para localizar o ponto mais forte da DP. Mova a sonda ao redor até que você encontre o local onde a pulsação é mais forte. Você deve ouvir um som pulsátil ou sibilante.

Registre a pressão sanguínea da artéria DP. Infle o manguito para cerca de 20mmHg acima da pressão sistólica regular do paciente ou até que o som sibilante tenha desaparecido. Esvazie o manguito e observe quando o som retornar. Esta é a pressão sistólica do tornozelo.

Encontre a artéria tibial posterior. Para um ITB exato, você deve verificar as pressões sanguíneas das artérias dorsais pedis e tibial posterior. A artéria tibial posterior situa-se por volta de um quarto de distância até a parte de trás da panturrilha. Aplique gel para ultrassom na área e use a sonda Doppler para achar onde a pulsação da artéria é mais forte.

Registre a pressão sanguínea da artéria tibial posterior. Repita o mesmo processo para encontrar a artéria DP. Uma vez terminado, registre a pressão e então mude o manguito para a perna direita. Registre as pressões sanguíneas das artérias dorsalis pedis e tibial posterior na perna direita.

Calculando o Índice Tornozelo-Braquial (ITB)

Observe a pressão sanguínea sistólica mais alta do tornozelo. Compare as leituras dos tornozelos esquerdo e direito, bem como as leituras das artérias DP e tibial posterior de ambos os tornozelos. Qualquer que seja o número, é o maior número de cada tornozelo que será usado para calcular o ITB.

Divida a pressão sanguínea sistólica do tornozelo pela pressão sanguínea sistólica do braço. Você vai calcular o ITB para cada perna individualmente. Use o valor mais alto de suas leituras do tornozelo esquerdo e divida-o pelo valor da artéria braquial. Então, repita este processo com os resultados do tornozelo direito.

”Exemplo:” A pressão sanguínea sistólica do tornozelo esquerdo é 120 e a pressão sanguínea do braço é 100. 120/100=1,20.

Registre e interprete os resultados. O índice tornozelo-braquial de repouso normal é de 1,0 a 1,4. Quanto mais próximo de 1,0 for o ITB do paciente, melhor o resultado. Isto significa que a pressão sanguínea do braço deve ser o mais próxima possível da pressão sanguínea do tornozelo.

Um ITB menor do que 0,4 sugere doença arterial periférica grave. O aluno pode desenvolver úlceras que não cicatrizam ou gangrena.

Um ITB de 0,41-0,90 indica doença arterial periférica de leve a moderada e justifica testes adicionais como tomografia computadorizada, ressonância magnética ou angiografia.

Um ITB de 0,91-1,30 indica veias normais. Entretanto, um valor entre 0,9-0,99 pode causar dor durante atividade física.

Um ITB > 1,3 indica veias que não se comprimem e estão severamente calcificadas, o que aumenta a pressão sanguínea. Diabetes de longa duração ou doença renal crônica podem levar a este estado.

 

www.sbh.org.br

  Sessão: