Ocitocina – conhecido como o hormônio do amor

julho 09 21:48 2015

A ocitocina, também chamada de oxitocina, é um hormônio sintetizado no núcleo supra-óptico do hipotálamo  e transportada em pequenas vesículas envoltas por uma membrana através dos axônios dos nervos hipotálamo-hipofisário. Estas vesículas ficam armazenadas nos terminais nervosos encontrados próximos aos leitos capilares na neuro-hipófise até a sua secreção para a corrente sanguínea.

Deste modo, a ocitocina apresenta dois sítios de origem: um ovariano e outro hipotalâmico.   Este hormônio também é responsável por desempenhar um importante  papel no processo reprodutivo. Durante a fase folicular do ciclo reprodutivo e durante os estágios  finais da gestação, a ocitocina estimula as contrações uterinas, que facilitam o transporte do esperma para o oviduto durante o período fértil.

O estímulo primário para a liberação da ocitocina é a distensão mecânica da cérvix uterina provocada pela insinuação do feto no momento do parto, bem como o ato de sucção da glândula mamária. Os impulsos são transmitidos por nervos aferentes que conduzem o reflexo para os corpos neuronais, causando a despolarização da membrana nervosa, que se propaga para a região terminal do axônio.

O influxo de cálcio gera a fusão dos grânulos e exocitose dos conteúdos granulares, e, então, a ocitocina e sua neurofisina são liberadas para a circulação sanguínea, sendo encontradas sob a forma livre ou ligadas a proteínas plasmáticas.   A ocitocina gera também outras ações, como a ejeção do leite. Na lactante, estímulos táteis e visuais, juntamente com a sucção induzem a liberação da ocitocina na corrente sanguínea, levando a contração das células mioepiteliais que circundam os alvéolos presentes  na glândula mamária, resultando na liberação do leite. Este hormônio possui também ação vasodilatadora e ação antidiurética fraca. Estima-se que a meia-vida da ocitocina gire ao redor de 5 a 12 minutos.   Estudos  realizados apontaram também que a ocitocina está relacionada com o orgasmo, tanto masculino, quanto feminino.

Os pesquisadores propuseram que é possível que haja uma interação entre as contrações musculares e o desejo sexual/orgasmo.

Fontes:

http://pt.wikipedia.org

http://www.anestesiologia.com.br

http://oglobo.globo.com

 

  Sessão:
escreva um comentário

Nenhum comentário

Nenhum comentário ainda!

comente primeiro...

Only registered users can comment.