Joelhos à prova da balança

Joelhos à prova da balança
agosto 05 23:17 2015

Especialistas alertam que brasileiros obesos devem ser mais cautelosos com as articulações dos membros inferiores.

Sempre que se fala em obesidade, os principais problemas de saúde ocasionados por ela que todos pensam de imediato são Hipertensão, Diabetes e doenças cardíacas. Poucos lembram que o excesso de peso pode levar uma pessoa a deixar de se locomover com independência e sofrer de muitas dores, pois as articulações dos membros inferiores são altamente vulneráveis ao sobrepeso. Segundo dados do Ministério da Saúde, de 2006 a 2009 a proporção de pessoas acima do peso subiu de 42,7% para 46,6% e o percentual de obesos cresceu de 11,4% para 13,9% no mesmo período. Quase metade da população brasileira com 20 anos ou mais está com excesso de peso de acordo com a pesquisa de orçamento familiares divulgada em agosto pelo IBGE. O ministro da Saúde, José Gomes Temporão, revela que nos últimos seis anos, os índices de obesidade cresceram 1 ponto percentual a cada 12 meses. O sobrepeso é maior entre os homens: 51%, ante 42,3% nas mulheres e atinge todas as faixas etárias. As informações foram obtidas através da Pesquisa de Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico, realizada em parceria com a Universidade de São Paulo (USP).

A partir desse quadro, não é difícil imaginar a quantidade de pessoas que sofrem de doenças crônicas nas articulações. O Instituto Nacional de Traumatologia e Ortopedia (Into) alerta para o cuidado com as patologias de joelho, que podem desencadear várias doenças. A condromalácia, mais popularmente conhecida como “joelho de corredor”, é a primeira da lista em número de casos de atendimento. Trata-se de uma doença caracterizada por inflamação seguida de amolecimento da cartilagem articular e que, se não tratada a tempo, pode evoluir e incapacitar os joelhos. A segunda patologia mais comum é a artrose, seguida pela lesão meniscal degenerativa e lesão de cartilagem articular do joelho.

O especialista Hugo Cobra, do Into, explica que existem grupos mais propensos a desenvolverem este tipo de problemas. “Pessoas com desvio de eixo no joelho e/ou que realizam atividades físicas de impacto quando estão acima do peso são candidatas a estas doenças”, ressalta. O tratamento, em primeiro estágio, é feito à base de medicação e de programas de reabilitação (fisioterapia e alongamentos musculares). Caso não haja melhora no quadro, é necessário recorrer à cirurgia.

Quando o assunto é saúde, a palavra é prevenção. Para evitar o sobrepeso e, consequentemente, problemas articulares é fundamental cuidar da alimentação e manter uma vida saudável, com prática de atividades físicas de maneira adequada. Mas cuidado com os exercícios de alto impacto, Dr. Hugo alerta: “todos os exercícios devem ser supervisionados e, em caso de sobrepeso na balança, a preferência é pela escolha de atividades mais leves”.

FONTE: www.into.saude.gov.br

  Sessão: