Como e por que se alongar?

Como e por que se alongar?
dezembro 08 22:02 2017

Além da flexibilidade, o exercício pode fazer maravilhas pelo corpo e à saúde geral

por Flávia Pegorin – Equipe Coração e Vida

Desde a sua primeira aula de educação física na escola primária, você já deve ter ouvido falar que alongamento é algo importante. Mas quando se tem pouco tempo disponível e muitas tarefas, emprego, família, alongar o corpo não parece tão essencial assim. Pense de novo, porque é – e se você está ou não em treino físico sério, saiba que essa atividade é um dos hábitos mais saudáveis a adotar.

Relaxar o corpo, conseguir uma postura correta, melhorar a circulação sanguínea, acabar com dores musculares. O alongamento, composto por uma série de exercícios que trabalham a musculatura e a postura corporal na parte cervical (pescoço), coluna, membros e região pélvica, torácica e lombar, é indicado para todos esses fins e outros (tanto para quem faz exercícios com regularidade quanto para quem está sedentário há algum tempo).

Foto: Shutterstock

Foto: Shutterstock

A musculatura se contrai nas atividades que fazemos diariamente ou pela postura incorreta, causando seu encurtamento. Já alongar traz justamente o relaxamento muscular.

“O melhor ao fazer exercícios de alongamento é dividir entre uma rotina pela manhã e outra à noite”, explica Newton Nunes, professor de educação física da Unidade de Reabilitação Cardiovascular e Fisiologia do Exercício do Incor em São Paulo.

“Logo cedo, o corpo está se preparando para iniciar um dia de atividades. À noite, o alongamento prepara o corpo para um sono mais tranquilo”, diz.

O correto, segundo o especialista, é que o alongamento seja uma rotina diária e que a pessoa não faça aquele “balanceio”, movimentando e forçando o corpo ao esticar, mas aja de modo suave até encontrar um limite sem dor. Ir além da conta pode estirar os músculos, causando rompimentos que demoram a cicatrizar (bloqueando até a prática de outras tarefas ou exercícios).

Para evitar problemas, Nunes sugere ainda fazer o alongamento, se possível, em dupla, com um indivíduo apoiando o outro e evitando exageros.

Vale ainda escolher um ambiente aquecido para praticar – e, pela manhã, só começar o exercício depois de alguma movimentação para esquentar o corpo (mesmo andar dentro de casa).

Entre os benefícios que o alongamento traz estão, além da diminuição das tensões, do risco de lesões e da facilitação dos movimentos do dia a dia, a melhoria da concentração e uma respiração mais adequada. Os alertas dos especialistas também pedem observação:
ALOGAMENTO
Se for começar o alongamento em uma academia, o primeiro passo é procurar um atendimento especializado nessa modalidade de exercício. Peça para fazer uma aula experimental – sendo que o ideal é o professor coordenar os exercícios em um ambiente tranquilo e adaptado à necessidade de cada aluno.

“Também é muito saudável que o indivíduo comece com o alongamento e, aos poucos, associe uma rotina de musculação também, para fortalecer”, explica Nunes (que desenvolveu o site Área de Treino, além de um canal de mesmo nome no YouTube, para divulgar informações sobre atividade física).

O alongamento pode começar do pescoço, passar por braços, tronco e abdômen, chegar às pernas e ir até os tornozelos e os pés. No início, a prática até pode trazer algum “peso”, uma certa dor. Mas a flexibilidade tende a melhorar e tudo fica mais fácil depois de algum tempo. Além de muito mais relaxante.

Revisão técnica
Prof. Dr. Max Grinberg
Núcleo de Bioética do Instituto do Coração do HCFMUS

  Sessão: