Aminoácidos isolados e seus benefícios fisiológicos – Dr Turibio Leite De Barros

Aminoácidos isolados e seus benefícios fisiológicos – Dr Turibio Leite De Barros
setembro 03 12:44 2015

No último congresso do Colégio Americano de Medicina Esportiva, dentre inúmeras novidades, um dos assuntos que mais chamou a atenção foi o grande número de trabalhos científicos apresentados sobre os efeitos dos aminoácidos isolados.

Os benefícios de determinados aminoácidos já são utilizados como estratégias da nutrição esportiva. É importante  ressaltar mais uma vez que aminoácidos são nutrientes e não podem ser confundidos com medicamentos ou drogas proibidas pela legislação esportiva.

No congresso foram apresentados trabalhos enfatizando principalmente os benefícios de três aminoácidos: Arginina, Leucina e beta-Alanina.

A arginina é um precursor  da síntese do óxido nítrico, que tem um importante papel na regulação do fluxo sanguíneo muscular durante o exercício. A suplementação de arginina apresenta evidências científicas de melhorar a resistência, tanto por proporcionar melhor oxigenação dos músculos, como por proporcionar uma remoção mais eficiente dos metabólitos produzidos durante o exercício.

A Leucina, que é um dos chamados aminoácidos de cadeia ramificada ou BCAA, acumula cada vez mais evidências de ser um importante nutriente para reparação do dano muscular provocado pelo exercício intenso. Sua suplementação tem uma indicação importante principalmente no pós-exercício, quando a reparação dos micro-traumas é uma das prioridades para o tecido muscular.

A beta-Alanina, talvez seja considerada o aminoácido com evidências mais recentes. Sua suplementação parece proporcionar um dos efeitos mais esperados pelos praticantes de exercícios. A administração de beta-Alanina aumenta a síntese de carnosina que é um eficiente neutralizador do ácido-láctico. Nos trabalhos apresentados ficou muito evidente o benefício que a suplementação deste nutriente proporcionava, possibilitando significativa melhora de desempenho por capacitar o organismo a utilizar mais energia anaeróbica. Como se sabe, o ácido láctico limita a intensidade do exercício, e sua maior neutralização proporciona um benefício importante na melhora da performance.

O uso destes recursos nutricionais ergogênicos tende a ser cada vez mais difundido em benefício de quem busca melhora de desempenho físico e também promoção de saúde pela vida ativa, entretanto deve ser sempre orientado por um profissional capaz de adequar sua devida indicação.

Dr. Turibio Leite de Barros – www. physioinstitute.com.br

 

  Sessão: